top of page

O que são fibras? E como é a digestão dos carboidratos?

Dando continuidade a série de postagens sobre os macronutrientes, vou falar um pouco sobre a digestão dos carboidratos e sobre as fibras alimentares.

Um erro muito comum, na maioria das pessoas, é o péssimo hábito de comer com muita pressa, sem mastigar bem os alimentos. Comendo rápido você prejudica a digestão, absorção dos nutrientes, reduz a sensação de saciedade e provavelmente vai querer comer mais do que se tivesse mastigado com calma a refeição.

No caso dos carboidratos, a digestão começa na boca por meio da mastigação que estimula a secreção da enzima α-amilase salivar ou ptialina, que irá continuar ativa até a chegada do bolo alimentar no estômago. Com a chegada do alimento no estômago as células G estimulam a secreção de gastrina, estimulando a secreção de ácido clorídrico (HCL), o que acarreta em redução do pH gástrico e inibe α-amilase.

A digestão continua no intestino delgado com ação das enzimas pancreáticas amilase e glicoamilase, que degradam (quebram) o amido. Essa quebra do amido resulta em partículas ainda menores (maltose), que assim como a sacarose e a lactose, sofre degradação pelas enzimas (dissacaridases), na borda em escova do intestino delgado. A quebra desses dissacarídeos, resultam em monossacarídeos (glicose, frutose e galactose), que serão absorvidas, por fim, no intestino delgado. Já as fibras alimentares, não sofrem ação das enzimas digestivas e vão direto para o intestino grosso, onde serão fermentadas pelas bactérias (microbiota) presentes nessa região.



Conhecendo melhor as fibras alimentares:

Vocês sabiam que as fibras alimentares, famosas por ajudarem na manutenção da nossa saúde são partes comestíveis de vegetais, frutas legumes, hortaliças, verduras e do amido resistente encontrado em leguminosas e grãos (cereais integrais)? Elas são tão interessantes, pois passam quase intactas pelo sistema digestivo e chegam praticamente inalteradas ao intestino grosso, elas também não têm valor nutritivo/energético. No intestino grosso, as fibras passam por uma degradação pela microbiota intestinal, que traz diversos benefícios a saúde em geral e até mesmo reduz risco de doenças crônicas não transmissíveis, como doenças cardiovasculares, diabetes e câncer.

Algumas de suas funções são: melhorar a saúde intestinal (diarreias ou constipação), regular os níveis de glicose no sangue (super importante para diabéticos e pessoas com resistência insulínica), aumentar a sensação de saciedade (ótimas para ajudar no emagrecimento e manutenção do peso), ajudam a melhorar os níveis de colesterol e triglicerídeos, controlar o pH do intestino e já que servem de alimento para as bactérias benéficas que estão presentes naturalmente no intestino. Além de promover a saúde da microbiota intestinal, as fibras diminuem a inflamação, aumentam as defesas do organismo e evitam a formação de doenças intestinais.

O consumo de fibras no Brasil ainda é muito baixo, sendo recomendado ingestão superior a 25g a 35g por dia.

Para aumentar o consumo de fibras em nosso dia a dia, indico adicionar frutas (sempre que possível com casca ou bagaço), use psyllium ou farelo de aveia em suas preparações (vitaminas, shakes, iogurtes ou com frutas), sem esquecer das leguminosas, verduras e legumes, optar pelas opções integrais dos alimentos também pode ajudar.

É importante lembrar que quando aumentamos o consumo de fibras na dieta, devemos aumentar também o consumo de água, caso contrário você pode ter quadros de constipação e cólicas abdominais.

Na próxima postagem sobre carboidratos, vou falar sobre a diferença entre índice glicêmico e carga glicêmica!!!

798 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page